sábado, 31 de maio de 2008

NAS RUAS DE SINGAPURA

Por Madalena S.

Nas ruas de Singapura cresce o perfume dos lírios.
Jesus Cristo está de visita à cidade.
Procura uma hipótese de praticar o bem, talvez fazer um milagre. Ou dois. Quem sabe três.
Encontrou num bordel sete putas velhas a quem pediu abrigo, pão e vinho. Deram-lhe um prato de arroz e uma cerveja e um catre forrado de percevejos.
- Foi o que se pôde arranjar!
Deitou-se com a mais feia mas não conseguiu dormir. Das ruas de Singapura, afogadas no perfume dos lírios, subia o clamor da multidão embriagada pelas novas que corriam pela cidade sobre a chegada do Homem.
Deitou-se com a mais bela mas também não conseguiu dormir, agoniado com o cheiro de mel quente que a sua pele exalava.
Então, saiu para as ruas de Singapura onde crescia o perfume dos lírios e começou a fazer milagres. Deu vista a cinco cegos, curou três paralíticos e ressuscitou um morto.
Ao terceiro dia, estava farto de praticar o bem e faltava-lhe a imaginação para fazer mais milagres.
Voltou ao bordel, arrumou a sua trouxa, despediu-se das sete putas velhas e subiu ao céu.
Das ruas de Singapura desapareceu o perfume dos lírios.

5 comentários:

Dinis Lapa disse...

Aí está um grande micro-conto. A minha avó beirã é que não ia gostar de ler tal coisa.

Dinis Lapa disse...

Quanto ao teu comentário no meu blog, combinado. Mas olha que também sou novo nesta técnica e ando a descobrir novas possibilidades todos os dias, através do diálogo com outros e na leitura doutros poetas de haiku. Dar-te-ei a minha opinião sincera.

Anónimo disse...

"Só o perú é que tem de se preocupar de véspera!"

olha q peru é sem acento.

Madalena S. disse...

Obrigada ao anónimo!
Nem tinha dado por isso e estava a fazer figuras tristes, e logo no meu perfil!
Vou emendar.

Ana disse...

Um dia destes, hão de me explicar porque é que Jesus Cristo esteve até em Singapura e não foi capaz de pôr os pé em Covas de Coina, hein?!